sexta-feira, 13 de abril de 2012

Vilões de quadrinhos mal-adaptados

E aí, meus queridos??
Escrevendo em plena sexta-feira 13, dia em que pessoas se livram da má sorte com vários amuletos e evitando passar por maus bocados.
E também é o aniversário de Jason Voorhees!!
Imagino que neste momento, deve estar matando os "convidados" da sua festinha em Crystal Lake.
Bom, há muitas luas, falei sobre os heróis de quadrinhos mal-adaptados, onde falei sobre as consequências de suas transições em filmes ou séries de TV (Adam West, você é o melhor Batman!).
Hoje, vou falar sobre os vilões.
Pois todo herói que se preze precise de vilões, ou não achariam nada melhor pra fazer.
Sem papo, vamos começar.
Santo Deus, já vi que hoje vou pro céu!
Bane
Bane!
...
Sim, Bane!!!
...
Não se lembra quem é??
...
Porra, por que parou de ler quadrinhos?
Bom, vou refrescar sua memória: ex-prisioneiro, no qual foi feito de cobaia e foi quem quebrou a costela do Batman em Knightfall (conhecido aqui no Brasil pelo sugestivo e adorado título A Queda do Morcego).
Bane surgiu na época em que Jean-Paul Valley, o Azrael, assumiu o manto do Morcego, o que indica que o Cavaleiro das Trevas nem ligou que seria sucedido por um cara agressivo e mais odiado que o Jason Todd.
Pois bem, o personagem é tão popular que Joel Schumacher (sim, ele!) decidiu fazer dele um "sub-vilão" (existe essa palavra?) no seu filme trash Batman & Robin.
O que achávamos que seria uma coisa surreal e surpreendente acabou se tornando assim...
Quando vi o filme, pensei que Bane seria um dos vilões mais inteligentes e que faria Mr. Freeze de putinha.
Mas me enganei.
Mais burro que uma porta, Bane parece ser o Incrível Hulk com uma máscara que é igual àquelas de gás. Movido a veneno, Bane é o estereótipo daqueles caras musculosos e que não tem nada no cérebro.
E é o escravo da Hera Venenosa.
E como a roupa do Duas-Caras foi parar no Arkham após os eventos de Batman Eternamente é um mistério que nem o Akinator adivinharia.
Por ser muito burro, Bane passa a metade do tempo murmurando palavras enquanto esporra moradores de rua com os efeitos sonoros de Tom e Jerry.
Na boa, se ele quebrasse a costela de George Clooney, eu respeitaria mais o Joel Schumacher.
Mas nem tudo é perfeito, não?
Duas-Caras
Se você é um advogado ou está cursando faculdade de Direito, saiba que pode ser um trabalho bom, mas nem tão perfeito.
Harvey Dent (conhecido por Apollo devido à sua aparência asseada) estava em julgamento de Boss Moroni, o que mostra que Gotham tem advogados mais competentes que o Brasil e os Estados Unidos.
Como nem tudo é um mar de rosas, Moroni jogou ácido no rosto de Dent.
E como o ácido não derreteu o copo onde estava também é um mistério.
Harvey se recusou a receber qualquer tipo de remédio ou cirurgia, o que também mostra que recusou as artimanhas do Dr. Hollywood.
Estranhamente, Harvey ganhou uma certa obsessão pelo número dois e dualidade. Agora apelidado de Duas-Caras, ele inferniza duplamente Batman e Gotham.
Enfim, Joel Schumacher soube da existência desse vilão, e o trouxe para o magnífico (é sério, foda-se quem discorda) Batman Eternamente.
O filme é legal, porém Duas-Caras tem muitas coisas estranhas durante sua aparição.
Na boa, admiro muito o trabalho de Tommy Lee Jones e adorei o lado insano que ele deu ao vilão.
Mas, o vilão é branco!!!
Lembram quando Harvey Dent era negro no filme de Tim Burton??
Sim, era ninguém menos que Billy Dee Williams!!
BILLY DEE WILLIAMS!!!
...
Como quem?
Porra, é o Lando Calrissian!!
E além disso, o lado esquerdo do rosto de Dent lembra muito o Coringa de Jack Nicholson, porém rosa.
Ou lilás, sei lá.
E também, essa versão vive pulando, berrando e falando merda enquanto atua com a versão gay do Charada.
Mesmo assim, eu amo Batman Eternamente.
De fato, é bem melhor que aquela tranqueira colorida.
Mr. Freeze
Sim, ele mesmo!
Um vilão com o coração gelado (juro que não quis fazer trocadilho), com um drama envolvendo sua esposa.
Dr. Victor Fries, bicampeão olímpico (!!!) e cientista, teve sua esposa afetada por uma doença. Como consequência, ele não teve outra escolha a não ser congelá-la até achar a cura.
Acabou sofrendo um acidente, se tornando o vilão mais frio (de novo, sem trocadilho) de Gotham.
Esse drama todo acabou se perdendo e se tornando uma atuação dos filmes de Uwe Boll ou Ed Wood no filme Batman & Robin.
E, pra interpretar o Refrigerador do Futuro, quem seria pior do que...
ARNOLD SCHWARZENEGGER?!
Sim, este é Schwarzenegger em seu declínio de carreira.
Vou dizer os motivos de eu odiar tanto esta versão do vilão.
1° - O tempo todo ele faz trocadilhos idiotas relacionadas a frio e temperaturas congelantes (por exemplo, "You're not sending me to the cooler!", "Let's kick some ice!", "Stay cool, 'Birdboy'!", entre outros). Só os Americanos vão entender;
2° - Ele se divide entre ensinar seus capangas a cantar músicas Natalinas, encontrar a cura pra esposa e congelar Gotham City, o que mostra que ele supera o pai do Chris no quesito "emprego";
3° - Sempre que perde uma luta, Mr. Freeze perde forças e sempre precisa parar para coletar diamantes e se reabastecer;
4° - A armadura do vilão lembra aquelas fantasias coloridas de criança, cheias de luzes, com direito a dentes que brilham no escuro (!!!).
Essa versão é bem pior do que aquele Besouro Verde dos cinemas.
Vamos encerrar com um vilão da Marvel na qual me deu vontade de gostar mais do universo Batman.
Venom
Nem pense em reclamar, pois eu gostava da versão dos quadrinhos por dois motivos:
1 - Mais popular que o Bozo, ele tinha o tamanho semelhante do Shao Kahn, o que mostra que nem mesmo o Rei de Outworld é melhor que o inimigo do amigão da vizinhança;
2 - Seu hospedeiro é um fotógrafo que teve sua carreira fodida por Peter Parker, o que também mostra que, por mais que seja bonzinho, Peter se torna um cuzão contra quem toma seu lugar.
Lembra do diretor Sam Raimi?
...
Ele foi o diretor de The Evil Dead, Evil Dead II e Army of Darkness.
Pois bem, para mostrar que até mesmo os nostálgicos famosos voltam do além-túmulo, Raimi mostrou um grande interesse em adaptar as aventuras do Homem-Aranha para os cinemas.
E fez sucesso!
Pelo menos até chegar Homem-Aranha 3, e o diretor foi obrigado a pôr Venom nessa sequência.
E o resto é lenda.
Venom se tornou um efeito de computação gráfica muito feio, com meio metro de altura.
Agora, o hospedeiro da simbiose negra não é mais Eddie Brock, e sim Eric Forman!
...
ERIC FORMAN!!!!!
...
Bom, quem se lembra da série That '70s Show, sabem que é de Topher Grace que estou falando, e quem não se lembra... bom, foda-se!
Enfim, a versão de Sam Raimi em nada se compara ao gorilão que dispara teias como um certo aracnídeo que usa lycra.
Venom não tem a monstruosa voz como naquela horrenda série animada que toda hora usava cidades feitas em computador, sua estatura é mais baixa que Brian Glynn e o efeito de computação é tão pobre que sequer fizeram uma boca maior para o vilão.
Aliás, Brian Glynn foi o Shao Kahn nos primeiros jogos de Mortal Kombat feitos para o Super Nintendo.
Só achei que quisesse saber.
Muito bem, e aqui encerra esse artigo. Tenham uma ótima sexta-feira 13.
E cuidado quando levar uma machadada no pescoço ou em outras partes do corpo.
Até a próxima!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário