domingo, 24 de junho de 2012

Os carros mais famosos do cinema

Quem é cinéfilo sabe que todo filme tem que haver carros.
Porque sem carro não há uma cena de ação.
E pressinto que hoje vai ser um artigo curto.
O Jackson Móvel
Você aí!
É, você mesmo!
Já viu o filme Moonwalker?
Não?
Ah, seu filho da...
...
Quero dizer...
Bom, Moonwalker apenas se resume a um conjunto de videoclipes do Michael Jackson que foram atirados no liquidificador e nos momentos finais, o Rei do Pop luta com um Joe Pesci armado com uma trança que desafia as leis da física para liquidar de vez as crianças com suas drogas em aranhas.
Canalha!
Bem, em uma cena, Michael Jackson vai a um beco de Gotham City (a explicação para uma cidade tão escura não podia ser outra) e se transforma em um carro que parece ter saído do filme Blade Runner.
Só até se transformar no Megatron e em uma nave do universo de Star Wars.
Ah, bons tempos em que os filmes faziam todas as referências nerds possíveis...
Aquele calhambeque demoníaco de Christine
Pois é, Stephen King tinha várias ideias bizarras: trouxe palhaços demoníacos, caminhões demoníacos, uma menina demoníaca, um cachorro demoníaco, um homem demoníaco, "sonâmbulos" demoníacos e por aí vai.
Então ele pensou: "o que mais falta inventar?"
Um carro demoníaco, claro!
Christine é diferente dos outros carros: é vulgar, toca rock 'n roll enquanto atropela suas vítimas, e tem um visual dos anos 50 (ou anos 60, eu sei lá) que até mesmo o David Cronenberg daria aquela incrementada grotesca como ele incansavelmente faz nos seus filmes.
Diabos, só ele conseguiu inventar uma TV com intestinos pra mostrar os perigos do Betamax.
...
Outro dia explico melhor.
Aquele Batmóvel fálico de "Batman Eternamente"
Sim, eu sei que é terrível.
Mas eu gosto do filme.
Sinceramente este é mais legal que aquele carnavalesco Batman & Robin.
E eu sei que notaram que o Batmóvel tem um design fálico.
...
Procura no Google, seus burros tarados!
Aquela caminhonete dos filmes da Pixar
Esse carro não é EXATAMENTE famoso, mas achei justo falar dele.
...
Ok, então.
O carro do futuro
Quem não se lembra do DeLorean?
...
Você não lembra? Ah, seu filho da...
...
Desculpe.
Enfim, o DeLorean é incrível, podendo viajar pelo tempo...
Isso até a pessoa transar com a própria mãe sem que ela saiba que você vai nascer no futuro.
...
NOJENTO!!
O carro dos Caça-Fantasmas
Todo mundo já viu o filme.
Não importa sua idade, em algum momento da sua vida você já assistiu Caça-Fantasmas, e se não o fez, melhor correr!
O carro é como se fosse um Batmóvel, só que é mais branco.
E a sirene é tão alta, que se o Freddy Krueger te incomodar com mais uma daquelas piadas sem graça, a sirene passa bem na hora estourando seus tímpanos!
...
Cruel, não?
E é isso! Até a próxima, onde farei um review de 5 partes sobre o filme Frankenweenie.
Esperem e verão.
Bazinga!!!

sábado, 23 de junho de 2012

Batman e seus piores momentos

Ah sim, até mesmo o Cavaleiro das Trevas comete erros.
E disto todo mundo sabe.
Mas a prova definitiva disso são suas capas. Deus do céu, o que os desenhistas tinham na cabeça?
...
É melhor vocês verem com seus próprios olhos.
Aqui, Batman mostra que não teve mesmo uma infância boa e resolve brincar com seu Imaginext.

E de algum jeito, ele encolheu o Robin e a Batwoman.

Bem, vamos pra próxima, pelo amor de Deus.
Aqui, há um ciclope coberto de alfafa (vai ver é a roupa do Grinch) e é declarado "a criatura da bat-caverna".

...

Eu achei que o Batman era a criatura da bat-caverna, e não este primo verde do Chewbacca, que parece ter saído de um clipe da Jennette McCurdy ou do U2, de tão complexo e estranho que é.

Próxima!

Por alguma razão, Mel Gibson pintou o cabelo de laranja e está jogando rochas gigantes nos heróis.

E o Robin é tão infantil que chama o "gigante" de Steve.

...

E por que diabos o Menino-Prodígio ainda veste cuecas de escamas? Ele matou a Pequena Sereia para fazê-las? Ou foi o Alfred? Não importa...

Próxima!
Por alguma razão, O Pinguim está tentando matar Robin com serpentinas, pois está de saco cheio da falta de decência do garoto.

Que bom que achei mais um aliado!

Próxima!
Nesta capa, Batman, Robin e um sósia do Charles Chaplin estão prestes a matar a pobre pessoa que comprou esta revista!

Mas acho que este não é o Chaplin. Ele parece mais o Stanley Laurel, que fazia parceria com o Oliver Hardy.

...

O Gordo e o Magro, pessoal!

...

Próxima!
Aqui, a Dupla Dinâmica são apagados (literal e figurativamente) para que ninguém mais os veja em Gotham City.

...

Na boa, nem quero perder meu tempo dizendo o quanto este vilão é uma merda. Credo, se eu quisesse me vestir assim, seria pra aparecer em um clipe da Lady Gaga.

Próxima!

Desta vez, Batman e Robin são atacados pelo Homem-Catapora!

...

E por dois mafiosos que provavelmente estão fugindo de Dick Tracy.

Próxima!
Aqui é interessante notar que o Homem-Aranha já trabalhou na DC Comics.

E é interessante notar que, mesmo a tinta toda cair no Coringa, ele nem se suja!

Aqui, Batman se tornou negativista e é atingido por um par de faróis de carro.

E um deles se chama Larry!

Quando alguém dá nome a um farol de carro, então o cara é um retardado mental!

Próxima!
Depois do carnaval, uma dupla de dois vilões vestidos (horrivelmente como corvo e vespa) atacam Gotham City, e quase frita Batman no processo.

Pelo menos eles não foram igual à Hilary Duff na série Gossip Girl.

Próxima!
E para encerrar, Batman parte em direção ao leitor sem sorte para arrebentar suas costelas e arrancar seu braço.

E eu achava que ele não era tão violento quanto o Christian Bale.

Até a próxima!

Bazinga!!!

domingo, 17 de junho de 2012

As três melhores coisas do 3D

Posso ser chato, mas o 3D quebrou os limites pelos visuais impressionantes, todos detalhados e tudo mais.
Filmes como a trilogia Toy Story, Star Wars e outros blockbusters nos impressionaram muito graças às inovações, tendo texturas mais realistas e mais expressões faciais.
Mas também trouxe algumas coisas bidimensionais para a era 3D, o que trouxe críticas um tanto quanto questionáveis.
Vamos ver agora!
1 - Homer Simpson no mundo real
Sim, você leu direito!
A Pacific Data Images (estúdio responsável pela maioria dos filmes da DreamWorks e efeitos visuais), junto com a Fox, fez um segmento chamado "Homer³" para um desses especiais de Halloween dos Simpsons. Nele, Homer foge de Patty e Selma (as irmãs da Marge, seu biltre!) e vai parar em um mundo tridimensional.
Entre cones apunhalando o traseiro de Homer e referências óbvias aos filmes Tron e Poltergeist, o nerd Professor Frink manda nosso querido corpulento e devorador de rosquinhas ao nosso mundo...
...com resultados questionáveis.
No fim do segmento, Homer encontra bolos eróticos (???) e esquece dos seus problemas.
Depois dessa, nunca mais vou parar de ver Os Simpsons.
2 - Uma Gotham City mais colorida
Honestamente, gosto mais de Batman Eternamente do que de Batman & Robin.
Joel Schumacher alternou o primeiro filme entre o colorido e o escuro, enquanto fez o outro parecer um dos carnavais brasileiros, de tanto excesso do colorido que o diretor inseriu (no bom sentido, claro).
Além disso, Schumacher (na verdade foi a PDI de novo) fez questão de fazer o melhor Arkham Asylum em Batman Eternamente.
Claro, em Batman & Robin, o Arkham ficou igual ao castelo de Castlevania, mas é um filme do Schumacher, a lei dos filmes não significa nada pra ele!
3 - Um Timmy Turner semelhante ao Bob Esponja
Alguém pelo menos viu o crossover de Padrinhos Mágicos com Jimmy Neutron?
...
Quem viu a foto deve ter imaginado, não?
E é isso! Sei que o artigo tá curto hoje, mas ultimamente me envolvi em problemas pessoais e não precisam se preocupar, pois volto com tudo em Julho.
Isto é, se eu conseguir resolver as coisas até lá, né?
Bazinga!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Uma viagem ao mundo dos games

Às vezes me pergunto se um vilão de games quer sempre ser um vilão.
Sabe, poder fazer o que der na telha e infernizar o herói da história deve ser o melhor emprego do mundo.
Não para Ralph, vilão de um game (óbvio) que quer fazer algo diferente na nova animação da Disney, Wreck-It Ralph (no Brasil, conhecido como Detona Ralph). Mas será que um filme da Disney que fala sobre games é melhor do que as bombas como Resident Evil, House of the Dead e BloodRayne, além de outras bombas baseadas em jogos?
É o que vamos ver!
Ralph é o vilão de um jogo de arcade, e está disposto a provar que também pode ser um mocinho. Seu maior sonho é ser mais adorado que seu inimigo, Conserta Félix Jr. Então a oportunidade surge quando ele invade um game em primeira pessoa (uma mistura de Halo com Mass Effect) comandado pelo sargento Calhoun.
Porém, como uma desgraça nunca vem sozinha, Ralph faz besteira e acaba libertando alguém que pode colocar em risco a vida dos outros jogos. Ralph então conhece a pequena Vanellope von Schweetz que mostra a ele o verdadeiro significado do heroísmo.
O enredo parece simples, digno para tirar boas risadas.
E como todo filme baseado em games, há participações especiais de grandes personagens de seus respectivos jogos, entre eles:
Bowser (Super Mario Bros.) e Zangief (Street Fighter)...
...Dr. Eggman (Sonic the Hedgehog), M. Bison (Street Fighter) e Clyde (Pac-Man).
Além deles também terá o Kano de Mortal Kombat, Chun-Li, e um zumbi de House of the Dead.
A animação estreia nos Estados Unidos no dia 2 de novembro de 2012, porém os brasileiros só poderão desfrutar o filme em Janeiro de 2013.
Maldição!
Pra encerrar, uma última imagem (duvido que acertem os nomes dos jogos em que os personagens abaixo aparecem)...
... e o trailer dublado.
E se o Bowser tiver uma voz, que seja da Jennette McCurdy. Ela é perfeita!
Bazinga!

domingo, 10 de junho de 2012

Filmes corajosos

Vamos ser francos: poucos filmes tiveram bolas o suficiente para levar um humor irreverente para as telas do cinema.
Hoje em dia, se consegue sucesso com O Lorax ou Os Vingadores, mas quando viram o sucesso que Scary Movie (título original de Todo Mundo em Pânico) conseguiu?
E nem vem com o papo de que Jason Friedberg e Aaron Seltzer são diretores. Eles só conseguem entupir um filme com piadas sem graça que só retardados com 14 anos vão achar graça.
E tem gente que reclama da saga Crepúsculo. Também acho a série gay e feminista demais, não os culpo.
Hoje, vou mostrar os filmes que tiveram coragem do que poucos tem hoje em dia.
Muito bem, vamos lá!
Madagascar
Ah sim, a trilogia da DreamWorks não podia ficar de fora!
Caso não lembrem, vou falar por que o filme está nessa lista.
Bem, no primeiro filme (quem não viu é um otário), os animais escapam do zoológico do Central Park, e passeiam por Nova York.
Alex, o leão, é atingido por um dardo tranquilizante onde começa a ter alucinações psicodélicas (que é uma clara referência às drogas, em especial uma chamada "adrenalina), e depois mostra lêmures curtindo a festa rave mais intensa do que a mostrada em Matrix Revolutions.
Já em Madagascar 2, claras referências a morte são mostradas, como o sacrifício em um vulcão ou os potentes chutes nos testículos providenciados por uma senhora com idade mental de uma criança de 4 anos.
Agora, preparem-se: o terceiro filme faz uma engraçada piada sobre o ânus de um elefante!!
Verdade!!
Bom, a piada é mais ou menos assim:
"Sabe qual a diferença entre uma caixa de correio e o ânus de um elefante?
"Se você não sabe, ache outra pessoa para colocar suas cartas!"
Duvido que alguém tenha entendido, mas eu ri tanto que quase me expulsaram da primeira fila.
De fato, Madagascar 3 ganhou pontos malucos comigo.
Frankenweenie
Tim Burton teve bolas de verdade para fazer um filme desses.
Aqui, um cãozinho é brutalmente reduzido a sushi e seu dono o reencarna.
...
A explicação vai ficar melhor com o review, aguardem!
Enfim, Burton fez isso no estúdio de Walt Disney, e levou um pontapé no traseiro porque os executivos acharam assustador demais para as crianças.
Fracotes!
Pois bem, amo esse filme, e quem ler o review vai amar também!
Barnyard
O filme do diretor de Jimmy Neutron e Ace Ventura 2 teve a audácia de mostrar um boi hermafrodita.
Não, sério. Qual espécie de boi possui tetas de vaca?
Bom, a menos que seja uma vaca do Boy George ou do Village People, um boi de respeito jamais teria as tetas de uma vaca, não?
E já perdi total confiança nos filmes do Steve Oedekerk.
Damn, odeio Kung Pow e tudo que Steve Oedekerk criou!
...
Menos os curtas dos Thumbs, aquilo que é humor de verdade!
E é isso!
Sei que falei de poucos filmes, mas tá tarde e eu queria logo sair!
Qualquer dia falo de Jogos Mortais, prometo!
E também porque eu queria substituir o "polêmico" artigo da Jennette McCurdy por causa de uma McCurdian que é amiga minha!
Maldita!
Até julho, pessoal!
Bazinga!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Os melhores filmes de Tim Burton

Vou confessar, adoro o Tim Burton!
Seus trabalhos sempre são escuros, com uma temática mais sombria e possui um humor inteligente que funciona perfeitamente.
E sempre conta com bons atores como Martin Landau, Johnny Depp, Winona Ryder, Michael Keaton, Jack Nicholson, Helena Bonham Carter (sua atual esposa), além de grandes nomes como o célebre músico Danny Elfman.
Mas já se meteu em roubadas, como a refilmagem do Planeta dos Macacos e o recente Dark Shadows.
É, eu sei, é enervante.
Falo do Planeta dos Macacos, não de Dark Shadows.
Podia ser o Spielberg, mas quem liga pra ele quando o diretor de filmes dark está por perto?
Enfim, vamos lá nos melhores filme dele!
Beetlejuice
Esse filme me fez relutar muito.
Não sei se alguém se interessaria por um bio-exorcista que ajuda um casal de fantasmas a tirarem um outro casal de pirados que tentam socializar com vizinhos.
O protagonista tem uma amiga, a gótica da família.
E fica quase difícil reconhecer Michael Keaton naquela maquiagem toda.
Calma que fica melhor.
Em um momento, o casal de fantasmas se disfarça de maneira grotesca: Alec Baldwin se disfarça de pica-pau enquanto Geena Davis se disfarça de crocodilo.
O filme usa pouco stop motion, mas é Michael Keaton que rouba a cena aqui!
Rei das comédias de baixo nível, Keaton não pensou duas vezes.
E fez um Beetlejuice de primeira classe!
Sleepy Hollow
Eu sei, eu devia ter chamado de A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, mas acontece que os Americanos não entenderiam, tampouco o tradutor ajuda em alguma coisa.
É como se eu escrevesse Sombras da Noite e a porcaria do tradutor escreve Shadows of the Night em vez de Dark Shadows, nome oficial do filme.
Mas sinceramente, esse filme me assusta!
Deus do céu, esse filme é tão escuro que deveriam usar uma lanterna!
Claro que na Idade Média existiam lampiões, mas eu quis fazer piada e foda-se quem não riu!
Biltres sem humor!
Mas, de fato, um sujeito sem cabeça que passa a vida decapitando todo mundo deve ter uma vida perfeita.
E ele sempre tá andando a cavalo, o que indica que ele é parente do Fantasma.
E, como sempre, Johnny Depp está nesse filme, o que mostra que ele e Burton são ótimos amigos.
Edward Mãos de Tesoura
Eu confesso: eu adoro esse filme.
É o melhor que eu já vi!
Johnny Depp está um arraso como Edward, possivelmente parente do Freddy Krueger e que vive em um mundo onde uma hora é adorado, depois punks adolescentes fazem brincadeiras infames com ele até que ele se refugia e retorna a sua antiga casa enquanto uma multidão fica furiosa com ele.
E já deu uns amassos na Winona Ryder.
Pra alguém que que tem tesouras no lugar das mãos, Edward faz ótimos cortes de cabelo.
Imagino quantas cabeças ele decapitou depois do que aconteceu no filme.
Charlie and the Chocolate Factory
Sejamos francos, a versão com Gene Wilder é enervante.
Aqueles anões não são Oompa-Loompas nem aqui nem no raio que o parta.
Por hora, me apeguei a versão de 2005, onde tudo é feito de chocolate e Johnny Depp parecia agir feito o Michael Jackson com sua pele de fantasma e um jeito, digamos, afeminado.
Sim, ele é. Não me contrarie ou eu arranco a sua cara para dar aos ursos polares!
Enfim, a visão retorcida de Burton reforça muito no assunto visual.
As árvores parecem aquelas balas de bengala que se usa no Natal, os Oompa Loompas são o mesmo cara (e não um monte de anões com hepatite e cara de diarreia) e tudo é comestível!
Vão ver o filme e me entenderão!
Pee-Wee's Big Adventure
Eu já vi The Pee-Wee Herman Show e aposto que alguns dos Americanos se lembram do adulto que agia como criança.
Bem, seu primeiro filme estrelava Pee-Wee (e quem mais seria?) num dos primeiros filmes coloridos e super cômicos de Tim Burton, até então desconhecido pelo público.
E Pee-Wee me assustava!
Ele andava com o Cowboy Curtis (que era o Laurence "Morpheus" Fishburne) ou com aquela bicicleta magrela que ele perdeu no filme e ele teve que viajar meio mundo atrás dela.
Se eu quisesse viajar meio mundo por causa de alguma coisa, eu pegaria as mulheres de Los Angeles (só a Jennette McCurdy, mas eu a respeito), de Nova York e da Califórnia, pois são bem mais lindas que as mulheres daqui do Brasil.
Pee-Wee Herman é sortudo.
E é isso. Sei que falei um bocado de Dark Shadows, mas só falarei do filme quando ele finalmente for lançado.
E também falaria dos filmes que ele produziu, mas foram tão poucos e os filmes são tão ridículos (exceto Batman Forever) que acho que nem valeria a pena falar.
Até a próxima, pessoal!!
Bazinga!!!!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Games que eu gosto de jogar sozinho

Muita gente me critica por que eu costumo ficar sozinho.
A razão é que eu gosto de ficar isolado no meu mundo fazendo coisas normais, tipo ver minha coleção de filmes do Cavaleiro das Trevas (e perdi muito tempo vendo Batman & Robin), ouvindo as músicas da minha deusa loira (a Jennette McCurdy) ao mesmo tempo em que eu sento na cadeira (ou na beirada da minha cama, pra fingir um suicídio) e jogo centenas de games!
Abaixo está a lista de games que adorei jogar e pretendo zerá-los de novo algum dia.
E, sabe, ver o Anderson Silva vestido como a noiva do Kill Bill no comercial da Budweiser me deixa com muitas perguntas.
Por hora, vamos lá.
EU SOU A NOITE!
Wolfenstein 3D
É um dos meus games favoritos de tiro em primeira pessoa.
Aqui você metralha nazistas como se não houvesse amanhã enquanto percorre por um mapa semelhante àquelas swastikas (é assim que se escreve?) enquanto percorre por gráficos semi-foto realistas.
Em um determinado momento, você encontra Adolf Hitler (que no jogo, é mais feio que o capeta) e o estraçalha até que descobre que ele é um Decepticon (literalmente) que quer foder com a vida de William "B.J." Blazkowicz ao mesmo tempo que você profana blasfêmias como se estivesse num filme do Clint Eastwood ou do Woody Allen.
Eventualmente o game foi censurado, pois acharam que os jogadores se tornariam sádicos e matariam os soldados alemães e qualquer trouxa que tivesse penteado de emo e um bigodinho do Charles Chaplin.
...
Não "naquela área", você me entendeu.
...
Mesmo assim, Wolfenstein 3D foi um sucesso, pois não deram bola pra um sujeito corpulento que morreu anos atrás.
E é por isso que ninguém mais fala do Michael Jackson!
DOOM
Sim, mais um game de tiro em primeira pessoa. Acostume-se.
DOOM surgiu na mesma ideia de Wolfenstein 3D.
A diferença é que, aqui, você estraçalha os servos do Diabo como se fossem parentes pedindo dinheiro emprestado!!!!
E também teve um filme com o Dwayne "The Rock" "Fada do Dente" Johnson, mas nem quero falar nisso nem daqui a uns vinte anos.
Como seu influenciador, DOOM foi censurado pelos advogados desocupados.
Não, Jack Thompson não estava lá.
De fato, apenas censuraram DOOM por conter imagens satânicas e por ser muito violento.
Vai ver porque acharam que o Diabo iria possuir os jogadores após eles terem exterminado os servos do capeta, que parecem o Nemesis antes de ter aquele tumor e aparência digna de um Jason Voorhees.
Conker: Live & Reloaded
Ahhh sim, Conker!
O esquilo mais cínico, viciado em sua namorada piranha e que sempre vomita quando sai de um boteco.
Eu não o culpo, afinal todos os bares daqui do Brasil também são assim: sujos, fedendo a xixi e com desocupados que berram enquanto enchem a cara de cerveja.
Enfim, Conker usa sua imagem infantil (igual à Ren & Stimpy) para satirizar as "coisas de adultos".
Claro, o jogo mostrava isso claramente com seus vômitos, palavrões, mas foi um dos primeiros games da Nintendo 64 a chegar a esse nível.
Aí, a Rare (responsável por Donkey Kong Country) decidiu reviver o seu bichinho "fofinho" para o trambolho da Microsoft.
E deu certo!
As mesmas coisas ainda estão lá: os palavrões, muito sangue e humor super pesado, mas o que se pode esperar?
C'est la vie, meus queridos!
Crash Twinsanity
Devo dizer que este é um dos melhores games do Xbox que eu já joguei!
Com todo seu visual cartunesco, o vilão se unia ao seu herói para salvar o mundo que tentou destruir nos jogos anteriores.
Espera aí... o que?
Um vilão se unir ao herói do jogo... é como se o Robotnik se unisse ao Sonic para matar o Tails e deixar os jogos dele menos gays.
...
E eu sei que o Tails é macho, não estraga minha diversão, seus queima-roscas!
Isso é tão frustante que, se eu pudesse, pegaria um carro e sairia atropelando todo mundo sem motivo!
...
Quem jogou Carmageddon  me entendeu.
Enfim, Crash é silencioso e só sabe sorrir no jogo todo, enquanto Cortex é a mistura do Osama Bin Laden com um marshmallow.
E... é.
LEGO Batman: The Videogame
Sim eu gosto de LEGO. E DAÍ?
...
*respira bem fundo*
Bem, também gosto de Batman e é impossível não gostar da versão "montável" do Cruzado Embuçado, não é?
Aqui, dá pra se jogar com todos os personagens, até mesmo com Bruce Wayne e seu mordomo Britânico!
Sim, dá pra matar de bandeja com Alfred.
Juro que não quis fazer piada.
É isso. Dúvidas? Sugestões? Quer me mandar pra casa do canguru? Já sabem onde deixar.
Prometo trazer outro artigo menos redundante e que tenha Jennette McCurdy.
Sim, Jennette McCurdy! Assim todos podem encher a cara como bárbaros!
Bazinga!!!

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Os desenhos animados mais bizarros

Olá, queridos!
Então, hoje é o mês de Junho (Sério?), e eu estou voltando com tudo antes do meu aniversário.
Pois bem, aqui vai um breve resumo da ideia do artigo:
Ontem à tarde, estava em Porto Alegre (na região Sul, caso não saibam) e comprei uma revista Mad, onde ela tirava sarro de Angry Birds.
E quem não conhece a Mad?
Com todo aquele humor de banheiro, desenhos asquerosamente engraçados e um editor sacaneando os outros nas seções de cartas.
Eventualmente peguei umas ideias da revista e o blog nasceu.
Outro dia falo melhor esse assunto.
Bom, acabei comprando também os filmes O Cavaleiro das Trevas e Batman, filme baseado na colorida série de 1966.
Então decidi escrever algo sobre desenhos animados, mas tem alguns que são bizarros e o público adora bizarrices.
Foi difícil escolher, mas peguei apenas algumas animações pra vocês terem uma ideia de como era (e ainda é) legal estar em um mundo mágico, onde nenhum homem ou ser humano jamais esteve.
...
Maldito Star Trek!
Homem-Aranha (1994-1998)
Todo mundo adorava essa série (e quem detestava deve ser um puto com aracnofobia), mas acho que alguns de vocês não notaram nos equívocos presentes nas aventuras do Amigão da Vizinhança.
Pior ainda, a série adaptou sagas dos quadrinhos, que resultou em equívocos maiores.
Começando com a saga O Traje Alienígena, onde vemos a simbiose extraterrestre de Venom parasitar o Cabeça de Teia até chegar ao ex-fotógrafo Eddie Brock, algo que Sam Raimi fez em Homem-Aranha 3.
Caso alguns também não tenham notado, a partir da segunda temporada, Homem-Aranha ganhou mini-séries, começando por Os Pecados dos Pais, seguido por Parceiros em Perigo, Os Seis Guerreiros Esquecidos, além de adaptar Guerras Secretas e encerrar com "chave de teia" em Spider Wars, que teve até participação do Aranha Escarlate, que é o odiado Ben Reilly.
Além disso, a série teve várias participações especiais, como o Justiceiro, Quarteto Fantástico, Demolidor, e até de Stan Lee!!!
A série se tornou um clássico, que lançou desde bonecos a videogames e histórias em quadrinhos.
Porém, nosso amigo Cabeça de Teia se meteu em mais roubadas em Spider-Man Unlimited, que era uma adaptação mal-feita de Homem-Aranha 2099.
O lado bom é que voltou em Homem-Aranha: A Nova Série Animada, totalmente em 3D e feita pelo mesmo estúdio responsável por ReBoot Beast Wars!!!
Se isso não tem macheza, não sei o que terá!
Os Oblongs (2001-2002)
Esse desenho é estranho de muitas formas.
Pra começar, a família possivelmente mora em Chernobyl. De outra forma não faria sentido uma família composta por um pai sem braços e pernas.
A esposa dele é uma cópia da Marge Simpson, pois ambas as duas tem o mesmo tamanho do cabelo, o que mostra que pra um criador de desenho, Angus Oblong tinha sérias faltas de criatividade.
E como os filhos deles nasceram? Vejam bem, pelas leis da física, um sujeito sem braço e sem corpo se desequilibraria rápido, o que mostra que Chernobyl é um mundo muito estranho.
O Novo Show do Pica-Pau (1999-2002)
Desde os anos 40, o Pica-Pau era um bom personagem com suas maluquices, insanidades e o que mais Walter Lantz lançava.
Então veio o último episódio (Bye Bye Blackboard pra que não lembra), e encerrou 1972 com atitude.
Porém, uma notícia chocou todos: em 1994, Walter Lantz morre por culpa da falha cardíaca.
Aí em 1999, a Universal decidiu reviver o personagem, o que de fato deu certo para fãs nostálgicos.
Mas muitas mudanças foram feitas: agora recebemos um pica-pau escocês que é preguiçoso, vagabundo e que reclamava e devia o aluguel pra Senhorita Meany, que é a versão queixuda e feia da Miss Meany (conhecida aqui como Meany Ranheta).
Lembram do Zeca Urubu? Pois bem, aqui ele parece aqueles malandros do Rio de Janeiro, e que agora conta com um gavião nanico pra ajudar nos seus "planos", na qual o Pica-Pau sempre estraga.
E Wally Walrus (o Leôncio) agora era Sueco, fato demonstrado pelas suas "famosas" almôndegas Suecas.
Há ainda a participação de Winnie Pica-Pau, Knothead e Splinter, Dooley (que está parecido com Tommy Lee Jones atualmente), além de um estranho texugo e do engraçadíssimo Doutor Lelé (Doug Nutts, que é uma caricatura de Don Knotts, pra quem não entendeu a lógica do nome).
Entendo que muita gente odeia essa série pelas severas mudanças, mas entendam que O Novo Show do Pica-Pau foi feito em homenagem ao Walter Lantz.
E ter um personagem clássico dublado pelo Stimpy é algo nostálgico mesmo!
Aliás, já que falei em Ren & Stimpy...
O Show de Ren & Stimpy (1991-1996)
Perturbador. Se há uma palavra pra descrever essa série, é essa.
Já falei muito sobre ela, então vou resumir: a série é sobre um chihuahua neurastênico e um gato idiota que vivem aventuras bizarras, ao mesmo tempo em que o chihuahua desfere socos, pontapés, voadoras, entre outras coisas que só uma mente demente como a de John Kricfalusi pôde conceber.
Vendida para a Nickelodeon em 1991, a série influenciou outras graças a seu humor bizarro, entre elas os conhecidos Bob Esponja, South Park, 2 Cachorros Bobos (que trouxe o Esquilo Secreto de volta), Beavis & Butt-Head e O Novo Show do Pica-Pau.
Aliás, o cartunista cometeu uma atrocidade ao tentar passar batido com o episódio Man's Best Friend, onde mostrava o chihuahua espancando George Liquor com um remo.
Não adiantou e Kricfalusi foi demitido em 1992, o que deixou o desenho nas mãos da Games Animation (atual Nickelodeon Animation Studios). Claro foi uma mudança boa, e Kricfalusi acabou se contentando fazendo bizarrices com Zé Colmeia e os Jetsons e com um clipe da Björk. No fim da série, Billy West migrou para as séries Futurama e O Novo Show do Pica-Pau.
Mas aí, John K. fez episódios mais bizarros lá no Canadá. Tão podre era a série que só restou fazer a glamourosa piadinha do sofá do desenho Os Simpsons.
Lamento muito por Matt Groening.
Invasor Zim (2001-2002-2006)
Duvido que ninguém tenha assistido essa animação.
Parece que o demente punk Jhonen Vasquez pareca se influenciar por Vida Moderna de Rocko, Ren & Stimpy e Beavis e Butt-Head ou por David Cronenberg, sei lá.
Pois bem, Zim é um alienígena que foi expulso do seu planeta natal. Junto com GIR (uma versão bem piorada e feia do Clank), os acabaram indo parar na Terra "por falta de opção", afinal todos queriam se livrar desse chato de galocha.
Por aqui no Brasil, a série foi pouco cultivada devido à sua "natureza": Zim fazia críticas pesadas ao planeta Terra enquanto arrancava órgãos de outras crianças e colocava em si mesmo.
É, pois é.
E segundo a Wikipedia, Jhonen Vasquez nunca conseguiu esconder o ódio do cancelamento da série, além de um projeto de filme.
Claro, quando ninguém aguenta ver crianças sem órgãos ou humor negro excessivo, o jeito é cancelar tudo de uma vez.
Robot Chicken (2005-presente)
Para encerrar, uma série que atualmente é legal lá nos Estados Unidos, porque os filhos da puta tiraram o Adult Swim da programação brasileira, o que me dá saudade.
Bom, Robot Chicken (ou Frango Robô, para os que não lembram) era uma série em stop motion que tirava sarro de tudo, desde séries de TV à videogames, filmes e outras coisinhas.
Criado pelo ruivo safado Seth Green, a série se tornou sucesso imediato por participações de famosos, como os excêntricos Breckin Meyer, Mila Kunis, Mark Hamill e o próprio Seth Green.
Tom e Jerry (1961-1962)
Pouca gente sabe, mas esta série foi bastante odiada pelos fãs.
Não só por ter um novo animador (Gene Deitch, que consegue ser mais louco que o John Kricfalusi), mas por ser mais... digamos, bem inferior.
A segunda fase da série ainda tentava apelar para efeitos sonoros estranhos, uso frequente de técnicas como motion blur e reverberação, além dos personagens sempre murmurar palavras (ambas as vozes foram feitas por Allen Swift, que esteve em Mad Monster Party?, para os que não lembram) e a quase ausência das background musics.
Enfim, com apenas 13 episódios, a série não foi muito bem recebida.
Interessante que adoraram a versão da Filmation, mesmo o estúdio ter feito besteiras com os desenhos de Batman, Tarzan e Super-Homem.
...
O mundo é injusto com alguns, mas generoso com os outros.
E é isso. Hoje em dia, dá pra se olhar esses desenhos mesmo nos achando imaturos, mas muita gente interpreta mal isso, depende do ponto de vista.
E ainda há episódios disponíveis para download, mas desde que a SOPA tomou conta de tudo, fica impossível hoje em dia.
Até a próxima, pessoal, onde entrevistei a Jennette McCurdy novamente!!
Sim, fui lá novamente!
O que aconteceu?
...
...
Vocês não contam pra ninguém?
...
Eu também não!
Bazinga!